domingo, 30 de agosto de 2009

REDUÇÃO PLÁSTICOS

AS CORES DA NATUREZA 8
Imagens enviadas por Tereza



O garoto do plástico


Daniel Burd sempre foi um exemplo de menino. O garoto canadense faz parte do conselho estudantil do seu colégio, integra o Comitê de Caridade e, ainda, passeia voluntariamente com cachorros do seu bairro. Mas, no ano passado, o menino, de apenas 16 anos, superou todas as expectativas desenvolvendo um projeto que promete dar uma grande contribuição ao planeta.

Daniel encontrou um jeito de acelerar (e muito!) o processo de decomposição do plástico polietileno - aquele derivado de gás e petróleo, que é usado na confecção de sacolinhas plásticas, por exemplo.

Depois de pesquisar muito, o menino descobriu que existem dois tipos de bactérias raríssimas que se desenvolvem na natureza, uma do gênero Sphingomonas e uma do Pseudômonas, que, ao serem isoladas, são capazes de decompor o plástico em seis semanas - ao invés de 400 anos, como acontece no processo natural de decomposição - e, tudo isso, sem gerar nenhuma substância nociva ao meio ambiente ou à saúde humana.

A ideia de investigar sobre o assunto surgiu do jeito mais banal: Daniel fazia serviços domésticos todos os dias para ajudar os pais e percebia a quantidade de sacolas plásticas que existiam em sua casa. Com mania de questionar sobre tudo, o menino se perguntou qual era o destino dos sacos e, insatisfeito com a resposta que encontrou, resolveu desenvolver, ele próprio, um jeito mais sustentável de se livrar do material.

Por enquanto, a iniciativa é apenas um projeto, mas já rendeu a Daniel o prêmio "Canada Wide Science Fair", que oferece $ 10 mil em dinheiro e $ 20 mil em bolsas de estudo para cada um de seus ganhadores. Além disso, o menino está experimentando, aos 16 anos, um pouquinho do gosto da fama. Na internet, já existe um site para Daniel: The Unofficial Daniel Burd Fan Club.

E aí, você entraria para esse fã-clube?


Leia também:
O perigo da sacola plástica
Saco é um saco
Engodo plastificado
Plástico é vida???
SC: sacolas plásticas nunca mais!
Sopão de plástico

Veja também:
Embalagem eficiente
O futuro das sacolas

* Canada Wide Science Fair
* The Unofficial Daniel Burd Fan Club

( Texto enviado por Aline, tudo de bom a você)

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

I CONFERÊNCIA NACIONAL DE SAÚDE AMBIENTAL


AS CORES DA NATUREZA 7

- Recebemos de Tereza estas imanges.
Grande abraço Tereza.


1ª CONFERÊNCIA NACIONAL

DE SAÚDE AMBIENTAL – 1ª CNSA


- A ação humana sobre a natureza tem causado impactos cada vez mais graves sobre a saúde humana e os ecossistemas do planeta. Associada a um panorama de desigualdades sociais e econômicas, a degradação ambiental aponta para conseqüências que já vivemos no presente: o esgotamento dos recursos naturais; os processos acelerados de desertificação; a intensificação de eventos climáticos extremos; a crise urbana relacionada à carência de serviços de saneamento básico, habitação, transporte e segurança pública; poluição química de ambientes urbanos e rurais; e a emergência e reemergência de doenças.

- Estes problemas são interdependentes, seus impactos vão além das fronteiras locais e seus efeitos são produzidos e sentidos pelas populações. A busca de soluções para este quadro diversificado requer a formulação e gestão de políticas públicas interdisciplinares, integradas, intersetoriais, participativas e territorializadas. Neste sentido, surge a 1ª Conferência Nacional de Saúde Ambiental, a ser realizada em três etapas (municipais, estaduais e nacional), tendo como tema “A saúde ambiental na cidade, no campo e na floresta: construindo cidadania, qualidade de vida e territórios sustentáveis”.

- A 1ª Conferência em Saúde Ambiental é uma iniciativa dos Conselhos Nacionais de Saúde, Cidades e Meio Ambiente atendendo às deliberações das Conferencias Nacional de Saúde (13ª), Cidades (3ª) e de Meio Ambiente (3ª). Instituída por meio de Decreto Presidencial, tem como lema: “Saúde e Ambiente: vamos cuidar da gente!“ e como tema “A saúde ambiental na cidade, no campo e na floresta: construindo cidadania, qualidade de vida e territórios sustentáveis”.

- As etapas municipais serão realizadas até o dia 30 de agosto e as estaduais e do Distrito Federal até 30 de outubro. A etapa nacional da 1ª CNSA ocorrerá no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília-DF, de 15 a 18 de dezembro de 2009.

- Este canal de comunicação visa disponibilizar informação atualizada de todo o material de interesse à organização e realização das Etapas Municipais (e ou Intermunicipais), Estaduais e do Distrito Federal e da Etapa Nacional da 1ª CNSA.

Maiores informações, favor entrar em contato: (61) 3213 8434 ou cnsa@saude.gov.br

terça-feira, 25 de agosto de 2009

OBJETIVOS DO MILÊNIO

ECOLOGIA DO NASCER



ECOLOGIA DO NASCIMENTO

Um novo conceito está aflorando dentro da ecologia, diz respeito à ecologia do nascimento. A forma como o ser humano nasce marca a vida dele para sempre. A ONG Bem Nascer – Pelo Parto Natural, fundada em 2001 em Belo Horizonte, nasceu dentro de uma verdadeira epidemia de cesáreas – em alguns hospitais há 100 por cento de cesarianas. “Acreditamos que o nascimento deve ser natural e sem intervenções desnecessárias”, afirma a jornalista Cleise Soares, presidente da entidade. Para divulgar o parto natural e fazer a profilaxia da cesárea desnecessária, a Bem Nascer realiza duas rodas de mães na capital:

No último sábado do mês, às 9h30, ocorre a Roda Bem Nascer do Parque das Mangabeiras (no CEAM- Centro de Educação Ambiental) e faz parte do projeto de educação ambiental da reserva.
E no segundo sábado de cada mês, às 14h30, a Roda Bem Nascer acontece no coreto do Parque Municipal. A Roda está aberta para casais grávidos e é gratuita.

A ONG Bem Nascer tem o objetivo de disseminar a cultura do parto natural e, para isso, através do seu núcleo de comunicação – Bem Nascer de Idéias – promove palestras em universidades, para sensibilizar os profissionais de saúde antes de saírem para o mercado de trabalho. Recentemente, foi criada a Bem Nascer de Acolhimento, que organiza visitas às casas das gestantes às vésperas do nascimento, dando conforto e orientações de última hora para a gestante. Depois de nascido, as mulheres se reúnem e fazem uma visita pós-parto.

“A ONG Bem Nascer é um abraço feminino, acolhe o casal grávido e dá orientações práticas para o trabalho de parto, de forma a proporcionar uma experiência enriquecedora para os pais e criar um ambiente favorável a um parto humanizado”, explica a jornalista Cleise Soares, fundadora da ONG Bem Nascer, juntamente com o obstetra, Dr. Marco Aurélio Valadares.

A entidade conta com uma equipe multidisciplinar formada por obstetras, enfermeiras obstetras, psicólogos, jornalistas entre outras especialidades. Também é parceira da Prefeitura de Belo Horizonte na campanha BH pelo Parto Normal. Trabalha em sistema de voluntariado. Além das Rodas Bem Nascer, mantém uma lista na Internet, onde a discussão continua. Para acessar a lista, entre no site www.bemnascer.com.br, onde há um link para ela. Outros blogs afins: www.bemnascer.blogspot.com, www.yogabemnascer.blogspot.com

CLEISE SOARES ( Jornalista, Professora de Yoga e presidente da ONG Bem Nascer) Contatos pelo telefone 8504.8838.

CURSOS ENGENHARIA SANITÁRIA E AMBIENTAL

sábado, 22 de agosto de 2009

CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO

CONFERÊNCIA NACIONAL DE EDUCAÇÃO

- A Conae (Conferência Nacional de Educação) acontece entre 28 de março e 1º de abril de 2010, em Brasília, mas, desde o começo deste ano, vários encontros, reuniões, audiências e Conferências Municipais/ Intermunicipais e Estaduais vêm ocorrendo e serão realizadas em todo o país para debater o assunto.

- Há estados como Goiás e Pará onde a participação dos diferentes segmentos e setores está sendo ampla e outros, como o Amazonas, onde muitos municípios não se deram conta da importância do debate. Existem ainda unidades federativas como o Rio Grande do Sul, o Maranhão e Minas Gerais, que enfrentam graves problemas de organização. Outra barreira relatada por membros de Comissões Organizadoras Estaduais diz respeito ao processo utilizado para redistribuir recursos às cidades, cuja burocracia gerou atraso na realização de várias conferências locais. No total, o Ministério da Educação reservou cerca de R$ 25 milhões para apoiar as preliminares da Conae (R$ 18,5 milhões para as Municipais e R$ 6,5 milhões para as Estaduais).

- Por outro lado, a realização de etapas municipais/intermunicipais é notoriamente um avanço em relação à Coneb (Conferência Nacional de Educação Básica), ocorrida em abril de 2008.

Consulte: http://portal.mec.gov.br/conae


quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Pós em Meio Ambiente

RODOVIA INTEROCEÃNICA

Foto: Lago Tititicaca /Peru



Rodovia
Interoceânica
ligará em 2010 a
Amazônia
brasileira ao Pacífico

A conclusão da Estrada Interoceânica, do Brasil com o Oceano Pacífico, até o final do próximo ano, será um acontecimento que marcará nosso país, com uma mudança radical. Estaremos ligados com os maiores Portos do Peru, de frente para o Oriente: China, Japão, Hong Kong, e ao lado da Costa Oeste dos Estados Unidos. Os Estados da Região Centro-Oeste e Norte, principalmente Mato Grosso, Rondônia, Amazonas, e o nosso Acre (porta de entrada para o Peru/Pacífico), serão os principais beneficiados (www.kaxiana.com.br)

domingo, 16 de agosto de 2009

AGENDA 21

Foto: Planeta Terra tendo ao fundo o Sol

A G E N D A 21



video

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

DIRETO AMBIENTAL - FUNDAMENTOS

HORIZONTE ÉTICO
DA MOBILIZAÇÃO SOCIAL

" O horizonte ético é aquilo que dá sentido a um processo de mobilização.
Uma forma como um país explicita seu horizonte ético, seu projeto de nação, é através da sua Constituição. Nela ele define seu projeto de futuro, suas escolhas. Quanto mais tiver sido participativo o processo de sua elaboração, mais estas escolhas refletirão a vontade de todos e serão por todos compartilhadas.

Constituição da República Federativa do Brasil
Art. 1. A República Federativa do Brasil,
formada pela união indissolúvel dos Estados e
Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em
um Estado Democrático de Direito e tem como
fundamento:
I a soberania;
II a cidadania
III a dignidade da pessoa humana;
IV os valores do trabalho e da livre iniciativa;
V o pluralismo político

Parágrafo único: Todo poder emana do povo, que
o exerce por meio de seus representantes eleitos
ou diretamente, nos termos desta constituição.


2. 1 Compreensão do conceito de cidadania e dos princípios da democracia

- Toda ordem de convivência é construída, por isso é possível falar em mudança. As ordens de convivência são construídas, não são naturais. O que é natural é a nossa tendência a viver em sociedade.

- Os gregos se tornaram capazes de criar a democracia a partir do momento que descobriram que a ordem social não era ditada pelos deuses, mas construída pelos homens, quando vislumbraram a possibilidade de construir uma sociedade cujo destino não estivesse fora dela, mas nas mãos de todos os que dela participavam.

- Quando as pessoas assumem que têm nas mãos o seu destino e descobrem que a construção da sociedade depende de sua vontade e de suas escolhas, aí a democracia torna-se uma realidade.

"Toda ordem social é criada por nós. O
agir ou não agir de cada um contribui
para a formação e consolidação da ordem
em que vivemos. Em outras palavras, o caos
que estamos atravessando na atualidade não surgiu
espontaneamente. Esta desordem que tanto criticamos
também foi criada por nós. Portanto e antes de converter a
discussão em um juízo de culpabilidades se fomos
capazes de criar o caos, também podemos sair dele.
Somos capazes de criar uma ordem distinta." (J. Bernardo Toro)

... Eduardo Gianetti da Fonseca fala até de um "paradoxo do brasileiro".

" O paradoxo do brasileiro é o seguinte:
cada um de nós isoladamente tem o sentimento
e a crença sincera de estar muito acima de tudo
isso que aí está. Ninguém aceita, ninguém aguenta
mais, nenhum de nós pactua com o mar de lama,
o deboche e a vergonha da nossa vida pública e
comunitária. O problema é que, ao mesmo tempo,
o resultado final de todos nós é exatamente isto que
aí está!"

- Não aceitar a responsabilidade pela realidade em que vivemos é, ao mesmo tempo, nos desobrigarmos da tarefa de transformá-la, colocando na mão do outro a possibilidade de agir. É não assumirmos o nosso destino, não nos sentimos responsáveis por ele, porque não nos sentimos capazes de alterá-lo. A atitude decorrente dessas visões é sempre de fatalismo ou de subserviência, nunca uma atitude tranformadora." (*)

TORO A., José Bernardo & Werneck, Nísia Maria Duarte,
Mobilização Social: Um modo de construir a democracia e a participação
Brasília: Ministério do Meio Ambiente,
Recursos Hídricos e Amazônia Legal,
Secretaria de Recursos Hídricos, Associação Brasileira
de Ensino Agrícola Superior -
ABEAS, UNICEF, 1997, 104p (* Cap 2, 13, 14-15 )

quarta-feira, 12 de agosto de 2009

MEIO AMBIENTE E HISTÓRIA

video

A QUESTÃO AMBIENTAL TEM UM PROCESSO HISTÓRICO - SEVERN SUZUKI

- O agravamento da crise socioambiental já vem sendo denunciado há décadas. Um alerta da sociedade civil, da juventude na Eco/92 já cobrava uma atitude de governos e da sociedade civil diante as previsões ambientais para todo mundo.

- O discurso de Severn Suzuki durante a ECO/92 faz história. Sempre vale a pena assistir este vídeo.

- Nosso Jornal Oecoambiental, foi fundado como uma atitude. Implantamos os capítulos 36 e 40 da Agenda 21. Convidamos você a participar conosco. Ser um assinante/apoiador, veja em nosso site: www.oecoambiental.com.br como proceder.

- Participe deste nosso blog, faça seus comentários, envie textos, artigos, matérias. A informação ambiental salva vidas. Vamos vencer a crise ambiental organizando ações, projetos, grupos da sociedade civil.


Se você não conseguiu visualizar a tradução do vídeo click abaixo:

Discurso de Severn Suzuki na ECO92
http://www.youtube.com/watch?v=5g8cmWZOX8Q

GRIPE SUÍNA: UM PROBLEMA AMBIENTAL


A construção da sustentabilidade tem por princípio a valorização do ser humano e seu ambiente. A pandemia da gripe suína denuncia o crime ambiental de relações de produção e consumo que não respeitam o ser humano e nosso ambiente de vida. Mais um motivo para a sociedade civil e todos nós cidadãos(ãs) do Brasil e do mundo nos unirmos, exigindo e construindo novas relações de produção e consumo. Então não espere. Mobilize-se, participe, organize um grupo de meio ambiente, construa a Agenda 21, procure se informar. As informações sobre a crise socioambiental que o país e o mundo atravessam precisam ser democratizadas. Não fique refém da crise ambiental. Da falta de compromisso político de governos que permitem e licenciam empresas, que visando o lucro a qualquer preço, degradam o meio ambiente.
Recebemos este texto que faz uma análise das raízes de mais esta ponta do iceberg da crise socioambiental. Nosso Jornal Oecoambiental acredita que podemos nos organizar cada vez mais defendendo melhores condições socioambientais e melhor qualidade de vida para todos.


Quem manda é a indústria
por José Saramago - 10 de maio de 2009


Não sei nada do assunto e a experiência direta de haver convivido com porcos na infância e na adolescência não me serve de nada. Aquilo era mais uma família híbrida de humanos e animais que outra coisa. Mas leio com atenção os jornais, ouço e vejo as reportagens da rádio e da televisão, e, graças a alguma leitura providencial que me tem ajudado a compreender melhor os bastidores das causas primeiras da anunciada pandemia, talvez possa trazer aqui algum dado que esclareça por sua vez o leitor.
- Há muito tempo que os especialistas em virologia estão convencidos de que o sistema de agricultura intensiva da China meridional foi o principal vetor da mutação gripal: tanto da “deriva” estacional como do episódico “intercâmbio” genômico. Há já seis anos que a revista Science publicava um artigo importante em que mostrava que, depois de anos de estabilidade, o vírus da gripe suína da América do Norte havia dado um salto evolutivo vertiginoso. A industrialização, por grandes empresas, da produção pecuária rompeu o que até então tinha sido o monopólio natural da China na evolução da gripe.
- Nas últimas décadas, o setor pecuário transformou-se em algo que se parece mais à indústria petroquímica que à bucólica quinta familiar que os livros de texto na escola se comprazem em descrever… Em 1966, por exemplo, havia nos Estados Unidos 53 milhões de suínos distribuídos por um milhão de granjas. Atualmente, 65 milhões de porcos concentram-se em 65.000 instalações. Isso significou passar das antigas pocilgas aos ciclópicos infernos fecais de hoje, nos quais, entre o esterco e sob um calor sufocante, prontos para intercambiar agentes patogênicos à velocidade do raio, se amontoam dezenas de milhões de animais com mais do que debilitados sistemas imunitários. Não será, certamente, a única causa, mas não poderá ser ignorada.
- No ano passado, uma comissão convocada pelo Pew Research Center publicou um relatório sobre a “produção animal em granjas industriais, onde se chamava a atenção para o grave perigo de que a contínua circulação de vírus, característica das enormes varas ou rebanhos, aumentasse as possibilidades de aparecimento de novos vírus por processos de mutação ou de recombinação que poderiam gerar vírus mais eficientes na transmissão entre humanos”.
- A comissão alertou também para o fato de que o uso promíscuo de antibióticos nas fábricas porcinas/de porcos – mais barato que em ambientes humanos – estava proporcionando o auge de infecções estafilocócicas resistentes, ao mesmo tempo que as descargas residuais geravam manifestações de escherichia coli e de pfiesteria (o protozoário que matou milhares de peixes nos estuários da Carolina do Norte e contagiou dezenas de pescadores).
- Qualquer melhoria na ecologia deste novo agente patogênico teria que enfrentar-se ao monstruoso poder dos grandes conglomerados empresariais avícolas e bovinos, como Smithfield Farms (suíno e vacum) e Tyson (frangos).
A comissão falou de uma obstrução sistemática das suas investigações por parte das grandes empresas, incluídas umas nada recatadas ameaças de suprimir o financiamento dos investigadores que cooperaram com a comissão. Trata-se de uma indústria muito globalizada e com influências políticas. Assim como o gigante avícola Charoen Pokphand, radicado em Bangkok, foi capaz de desbaratar as investigações sobre o seu papel na propagação da gripe aviária no Sudeste asiático, o mais provável é que a epidemiologia forense do surto da gripe suína esbarre contra a pétrea muralha da indústria do porco. Isso não quer dizer que não venha a encontrar-se nunca um dedo acusador: já corre na imprensa mexicana o rumor de um epicentro da gripe situado numa gigantesca filial de Smithfield no estado de Veracruz. Mas o mais importante é o bosque, não as árvores: a fracassada estratégia antipandêmica da Organização Mundial de Saúde, o progressivo deterioramento da saúde pública mundial, a mordaça aplicada pelas grandes transnacionais farmacêuticas a medicamentos vitais e a catástrofe planetária que é uma produção pecuária industrializada e ecologicamente sem discernimento.
- Como se observa, os contágios são muito mais complicados que entrar um vírus presumivelmente mortal nos pulmões de um cidadão apanhado na teia dos interesses materiais e da falta de escrúpulos das grandes empresas. Tudo está contagiando tudo. A primeira morte, há longo tempo, foi a da honradez. Mas poderá, realmente, pedir-se honradez a uma transnacional? Quem nos acode?

Assista ao vídeo OPERAÇÃO PANDEMIA em
http://www.youtube.com/watch?v=CcgCBiyGljM

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

REALIDADE DA AMAZÕNIA


Foto: Arara canindé (1)

Marketing da destruição da Amazônia é o que interessa ao Brasil


A contínua destruição da maior, mais rica e última grande floresta tropical do planeta chega ao cúmulo de ser reduzida no noticiário nacional, em alguns momentos, a mera questão de marketing, favorável ou desfavorável ao governo de plantão. Ou seja, pouca importa se continuam morrendo mensalmente milhões de pássaros, de animais, de plantas e de outras riquezas naturais existentes nos ecossistemas que estão sendo destruídos e varridos do mapa terrestre pela ação das continuadas derrubadas e queimadas, que não param jamais de massacrar a região.
(www.kaxiana.com.br)

(1) Arara canindéNome Científico: Ara ararauna Alimentação: Frutos de casca dura, que quebram com o bico forte. Aprecia os cocos do bacuri e frutos do combaru, jatobá, mandovi e, sobretudo do pequi, árvore típica do Brasil central Reprodução: de 1 a 3 ovos, sua incubação dura cerca de 25 dias.Os filhotes abandonam o ninho com 13 semanas de vida Habitat: beiras de matas, várzeas de buritizais Distribuição Geográfica: desde a América Central até São Paulo Para alguns, essa é a arara mais bela de todas e, como as outras, prefere frutos nativos. Tem uma ampla distribuição, mas já desapareceu de grandes áreas. Ainda é bastante comum em diversas áreas de várzea no Pará. Depois da época reprodutiva, quando as aves se espalham pela mata, a espécie forma grandes poleiros coletivos. Ver dúzias de araras canindés chegando pela bela luz da tarde a esses poleiros é um dos grandes espetáculos da natureza na Amazônia. (Universidade do Amazonas)

domingo, 9 de agosto de 2009

PARA LER E REFLETIR

" TODO DIA É O AMANHÃ DE ONTEM "

GUILHERME AUGUSTO CAMPOSDOS SANTOS

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

COMO O BRASIL ESTÁ ENFRENTANDO O AQUECIMENTO GLOBAL

Consequência do aquecimento global:
derretimento das calotas polares, elevação dos oceanos

PLANO NACIONAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA

- PNMC.


- O Brasil enfrenta a crise do aquecimento global através do PLANO NACIONAL SOBRE MUDANÇA DO CLIMA - PNMC.

- Nosso Jornal Oecoambiental trabalha para que a sociedade civil se mobilize no enfrentamento da crise socioambiental através da participação. É fundamental democratizarmos as informações na área ambiental para que toda população possa de fato agir na solução desta crise.

- Estaremos divulgando os princípios deste plano que em seu conteúdo afirma:

" será mantido o canal de comunicação com vistas a garantir a ampla participação da população em todas as suas fases".

- O plano estabelece uma meta de reduzir em 40% a média anual de desmate no período 2006-2009, em relação à média dos dez anos anteriores (1996-2005), que foi de 19.500 quilômetros quadrados. Isso evitaria a emissão de cerca de 4 bilhões de toneladas de dióxido de carbono.

- O texto afirma: " Este Plano, estabelecido a partir das diretrizes gerais da Política Nacional sobre Mudança do Clima proposta pelo Poder Executivo ao Poder Legislativo, por meio da Projeto de Lei n. 3.535/2008, está estruturado em quatro eixos: (1) mitigação; (II) vulnerabilidade, impacto e adaptação; (III) pesquisa e desenvolvimento; e (IV) capacitação e divulgação.

Plano Nacional de Mudanças Climáticas (PDF 1.954 KB - Baixar Arquivo).


segunda-feira, 3 de agosto de 2009

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM BH

Foto: Lagoa da Pampulha - BH/MG

ATIVIDADES DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DO MÊS DE AGOSTO DE 2009

DA SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE BELO HORIZONTE.


CENTRO DE EXTENSÃO EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL / SALA VERDE-SMAMAGERÊNCIA DE EDUCAÇÃO AMBIENTALSECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTEPREFEITURA DE BELO HORIZONTE


DIA HORÁRIO ATIVIDADE

11 - 3ª feira 9 às 11h Ambiente em Foco (Vídeo e Debate) – "Escurecimento Global – SMMA / PBH

12 -4ª feira 8:30 às 12h Visita Orientada – Estação de Tratamento de Esgotos do Arrudas – Copasa

17 - 2ª feira 13:30 às 17:30h Circuito Intermunicipal de Percepção Ambiental daPampulha – CEA-PROPAM – SMMA e SARMU-P / PBH

20 - 5ª feira 9 às 11h Ambiente em Foco (Vídeo e Debate) – Marcas da Humanidade – SMMA / PBH

25 - 3ª feira 14 às 17h Oficina de Educação Ambiental – Consumo Responsável – SMMA / PBH

27 - 5ª feira 8:30 às 11:30h Visita Orientada – Estação de Tratamento de Água do Sistema Morro Redondo – Copasa

28 - 6ª feira 9 às 11h Ambiente em Foco (Palestra) – Diretrizes Municipais sobre Mudanças Climáticas e Ecoeficiência em BH – SMMA / PBH

31 - 2ª feira 13:30 às 17:30h Circuito Ambiental Nordeste – Do Onça ao Velhas –SMMA e SARMU-NE / PBH


Público: cidadãos, a partir de 16 anos, interessados nas questões socioambientais.

Inscrições a partir de 03/08/2009, de 8 às 17h, pelo telefone 31 3277-5199.
A ausência sem aviso prévio, em uma das atividades, implicará no cancelamento das demais inscrições para o mês.

"Seja pontual: a vaga dos inscritos será assegurada somente até o horário de início da atividade."