quinta-feira, 30 de setembro de 2010

CURSO O CIDADÃO E O MEIO AMBIENTE NA FGV


II JORNADA SOCIOAMBIENTAL EM DEFESA DA COMUNICAÇÃO E JUSTIÇA AMBIENTAL

   Com o objetivo de apoiar a sociedade civil que vem atuando na implantação do Artigo 225 da Constituição brasileira, realizamos a II Jornada Socioambiental em defesa da comunicação e justiça ambiental, que aconteceu na Escola Superior Dom Helder e na Escola Estadual Henrique Diniz, com a participação de associações, ONGs, sindicatos, grupos que atuam na área socioambiental em MG.
   Este evento que aconteceu em Agosto/2010 debateu temas como: “A Comunicação socioambiental, o Artigo 225 da Constituição brasileira e a Justiça Ambiental”. Aconteceram palestras na Escola Estadual Henrique Diniz onde o eixo central dos debates foi a comunidade e as ações e projetos ambientais.
   As Jornadas Socioambientais são uma iniciativa do Jornal e Projeto Oecoambiental, que vem trabalhando na construção da sustentabilidade em nossa comunidade. Agradecemos a Escola Estadual Henrique Diniz, a Escola Superior Dom Helder, CEF, SINDUTE/MG, Social Brasil,  SINDAGUA,  SITRAEMG, OAB/MG, Movimento em Defesa da Serra do Gandarela,  movimentos socioambientais de BH,  aos participantes deste evento tanto a comunidade escolar e acadêmica quanto a população de nossa cidade. Cada vez mais é fundamental agirmos na educação ambiental e na união entre pessoas e instituições na construção da sustentabilidade. Nosso muito obrigado e vamos em frente acreditando na força de nossa união para vencermos à cada dia os desafios da crise ambiental.


II Jornada em Defesa da Comunicação e Justiça Ambiental
Escola Superior Dom Helder em BH

Partipação dos estudantes, professores da Escola
Estadual Henrique Diniz na II JORNADA
SOCIOAMBIENTAL EM DEFESA DA
COMUNICAÇÃO E JUSTIÇA AMBIENTAL


 Dr. Luis Chaves Diretor da Escola Superior Dom Helder,
Dr. Elcio Pacheco representante da OAB/MG - Comissão de Direitos Humanos e
prof. José Luis - Sindute/MG -  II Jornada Socioambiental
em Defesa da Comunicação e Justiça Ambiental - na Escola Superior Dom Helder

Participação dos estudantes da Escola Estadual Henrique Diniz na II Jornada Socioambiental
em Defesa da Comunicação e Justiça Ambiental

                                      





Concurso Meio Ambiente

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

CURSO O CIDADÃO E O MEIO AMBIENTE COM APOIO DA FGV/ IBS BUSINESS SCHOOL




JORNADAS EM DEFESA DA COMUNICAÇÃO E JUSTIÇA AMBIENTAL

                    Representates do Movimento Ambiental de Caeté e da Comunidade de Brumadinho
     Nosso Jornal Oecoambiental, publica os principais fatos que marcaram a nossa I e II Jornadas Socioambientais em Defesa da Comunicação e Justiça Ambiental que aconteceram na Faculdade de Direito da UFMG e na Escola Superior Dom Hélder em Belo Horizonte.
    Como a maioria da sociedade civil , continua sendo a mais prejudicada com a crise ambiental que se agrava no Brasil e no mundo, nosso Jornal Oecoambiental promoveu nos últimos meses estes eventos em universidades de Direito de Belo Horizonte, convidando a população, escolas, associações, ONGs, comunidades acadêmicas, poder público a argumentarem como nós cidadãos podemos nos defender desta crise ambiental que aí está.

                                           Presença de representantes de comunidades, trabalhadores da Copasa,
                                          estudantes da Faculdade de Direito UMFG - I Jornada em Defesa da
                                          Comunicação e Justiça Ambiental - Faculdade de Direito UFMG

   A difusão do Artigo 225 da nossa Constituição brasileira e a participação da sociedade civil na sua implementação foi o eixo central de nosso trabalho. Esperamos desta forma unir pessoas e instituições para cada vez mais avançarmos na conquista de melhores condições socioambientais para todos.
                                            Palestra do Dr. Élcio Pacheco - Representante
                                   Comissão de Direitos Humanos da OAB - I Jornada
                                     Socioambiental em Defesa da Comunicação e Justiça Ambiental
                                          Faculdade de Direito da UFMG

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

PLANETA BRASIL E UMA LIÇÃO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

                                             Palco Planeta Brasil - foto:Luiz Cláudio
    Aconteceu nesse sábado dia 25 de setembro em BH o PLANETA BRASIL, um mega evento cultural que trouxe a população de BH um excelente espaço de entretenimento.
   Nosso Jornal Oecoambiental esteve presente registrando como a questão ambiental fez parte da estruturação desta produção cultural. Milhares de pessoas embaladas pelo Skank, Patu Fu, Lulu Santos, Maria Gadú, Jorge Ben Jor, tiveram no alto da cidade, Mirante Olhos D’água – espaço folia , numa inspiradora noite de lua cheia, um excelente momento para curtir a boa música brasileira.


                                       Grupo Skank - foto: Mateus Jamm


   O evento iniciou-se na sexta-feira dia 24, com a presença de escolas públicas municipais e estaduais que assistiram a apresentação exclusiva do grupo Pato Fu, com o seu mais novo projeto Música de Brinquedo, um laboratório musical documentado que tem como objetivo despertar no público infantil, o gosto pela música. As crianças além de conhecerem toda a estrutura do festival participaram de oficinas de educação ambiental com a criação e produção de materiais a partir da matéria prima reciclada.
    Samuel Rosa do grupo Skank, lembrou que os eventos culturais em BH que congregam grande público, devem sempre abrir espaço para as boas bandas belorizontinas. Parabenizou a organização do evento e disse que espera que outros mega eventos culturais de BH, sigam o bom exemplo do PLANETA BRASIL.
  O que nos chamou a atenção, inclusive para o nosso Jornal Oecoambiental estar presente ao evento, foi à preocupação com a educação ambiental no PLANETA BRASIL, nome já sugestivo e inteligente. Houve um espaço reservado à sustentabilidade, onde empresas e instituições que atuam na área ambiental apresentaram seus trabalhos e produtos, como a Oksigeno e reciclagem de óleo vegetal - Recóleo.
Público presente Planeta Brasil 2010 - Foto: L. Cláudio


  Sabemos que ainda a população carece de ter acesso à democratização da informação socioambiental. Unir cultura e meio ambiente é fundamental para que cada vez mais possamos avançar na busca de solução aos problemas ambientais que se multiplicam em nossa sociedade. Somente cerca de 8% do lixo no Brasil é reciclado. Temos de fato um importante e longo caminho na construção da sustentabilidade a percorrer.

Jorge Ben Jor - foto: Mateus Jamm 

    A cultura e o meio ambiente sempre foram uma só questão. Defender a causa ambiental é também democratizar a difusão da informação socioambiental e a cultura. Nosso Jornal Oecoambiental espera que em todas as atividades culturais em nossa cidade e no país, a defesa do meio ambiente conquiste cada vez mais espaço e prioridade, uma vez que todos podem agir detendo o aquecimento global que aí está.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

QUITOSANA, UMA FIBRA QUE DESPOLUI O AMBIENTE

   Uma fibra de crustáceos pode ajudar a despoluir rios contaminados com metais pesados. Essa foi a descoberta da tese de Elaine Lopes, da Universidade Estadual de Campinas. A quitosana é uma fibra retirada da casca de crustáceos, como caranguejos. Após ser transformada em pó e alterada quimicamente, a fibra é lançada na água contaminada com metais como chumbo e cobre. Esses metais “grudam” na quitosana modificada e formam partículas maiores que podem ser retiradas da água por filtragem. A fibra ainda pode ser reutilizada após a remoção dos metais. ( Manuelzão, Folha)

O desmatamento e os Presidenciáveis

   Os quatro principais candidatos à Presidência da República que receberam o questionário de 12 organizações socioambientalistas brasileiras coligadas no SOS Florestas , sobre as mudanças no Código Florestal responderam às perguntas e se manifestaram contra os principais pontos da proposta, em especial o que anistia quem desmatou ilegalmente. Os candidatos rejeitaram as medidas que fragilizam a proteção às florestas no Brasil. Responderam o questionário Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV) e Plínio de Arruda Sampaio (PSOL).
   Nesta quarta-feira, às 14 horas, membros do SOS Florestas encaminham ao presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ricardo Lewandowski, as respostas dos candidatos com o pedido de que sejam anexadas aos programas de governo apresentado por eles. ( Pinkaiti)

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

MARINA SILVA DEBATE PROPOSTAS DE GOVERNO COM EMPRESÁRIOS EM BH

Senadora Marina Silva e Olavo Machado Jr.

    A candidata a Presidência da República, Senadora Marina Silva participou dia 15 de setembro pela manhã, em Belo Horizonte de um debate promovido pelo Fórum de Entidades Empresariais de Minas Gerais.
   O Evento aberto pelo Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais – FIEMG – Sr. Olavo Machado Júnior foi precedido de uma breve exposição sobre o cenário político nacional, onde foi entregue um documento contendo as propostas do Fórum de Entidades Empresariais de Minas Gerais à candidata Marina Silva a Presidência da República.
    A Senadora fez uma apresentação de sua plataforma de governo tendo como ponto de partida uma análise do Brasil que temos e o Brasil que queremos. Reconhecendo os avanços do Brasil pela quantidade de organizações da sociedade civil brasileira que estão agindo na construção da sustentabilidade o país. “Vamos com visão estratégica colocar novas tecnologias, incentivos a produtividade ao invés de queimar pastagens” disse a Senadora Marina Silva.
   Defendeu a “igualdade de oportunidades a sustentabilidade econômica, social, ambiental, cultural, política, política cidadã baseada em princípios de valores.” Ela frisou a importância do voto cidadão e não o voto como gratidão. Reconhecendo avanços no governo Lula ela disse que o país tem que avançar em políticas estratégicas. “Usar novas tecnologias, criando novas narrativas para nossos produtos, ao invés de serem associados ao desmatamento, ao trabalho escravo.”  A candidata Marina Silva afirmou: “vamos certificar o etanol brasileiro” , que segundo ela se for certificado será com o nosso olhar brasileiro. Colocar nossos produtos nos mercados do mundo inteiro, “temos que fazer nosso dever de casa”.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

DEBATE COM A SENADORA MARINA SILVA CANDIDATA A PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

TERRA NÓS A QUEREMOS VIVA

Assista o clip: http://www.youtube.com/watch?v=zUcHSCAE-AE&a=GxdCwVVULXcgPcZY0T7dpCGfdUv4evGR&list=ML&playnext=6

Queremos nosso planeta Terra sustentável, para todos. Valorizando todo o  ambiente estamos valorizando a vida, a nós mesmos.

PROTESTO NO GOLFO DO MÉXICO

  BASTA DE TANTA DEGRADAÇÃO HUMANA, AMBIENTAL

   TOME UMA ATITUDE EM DEFESA DA VIDA E DE TODO AMBIENTE

    Numa atitude visando chamar a atenção para a gravidade do vazamento de petróleo no Golfo do México, um fotógrafo de Chicago Jane Fulton Alt, fotografou pessoas manchadas de óleo cenográfico para fazer um protesto ao vazamento de petróleo no Golfo do México. As pessoas não mergulharam nas praias de óleo.  A grande imprensa não vem dando a devida atenção a mais esta catástrofe ambiental.
   A questão é que o vazamento de petróleo como toda forma de degradação dos recursos naturais e conseqüentemente da população brasileira e mundial expõe as feridas deste sistema econômico predatório que vem destruindo os seres humanos e o planeta. É fundamental as pessoas se unirem em atitudes em defesa da vida, dos seres humanos e de todo ambiente.
   Nosso Jornal Oecoambiental, conclama você, sua família, a população brasileira e mundial a nos unirmos cada vez mais para a conquista de um mundo melhor com qualidade de vida e meio ambiente saudável para todos.


terça-feira, 7 de setembro de 2010

EXPEDIÇÃO PARAOPEBA


 Navegação Inédita e Histórica no rio Paraopeba

     Quatro navegadores terão o enorme desafio de navegar os mais de 500 km do leito do rio Paraopeba que iniciou-se em 4 de setembro de 2010, partindo do município de Cristiano Otoni (nascente do Paraopeba) até a foz, em Felixlândia. A atividade teve início, nesse dia,  às 9h na Rua Joaquim Ribeiro de Castro (Ponte próxima à Câmara Municipal), e prosseguiu durante o dia com programações culturais diversas, com vistas à mobilização social para a recuperação das águas do Paraopeba.
   Nunca ninguém, ou nenhuma instituição programou fazer registros (filmagens, fotografias, diário de bordo, etc.) e, sobretudo disponibilizou coordenadas geográficas de pontos de poluição/degradação e pontos de preservação e boas práticas, em toda extensão do rio Paraopeba (da nascente à foz).
   Tais registros servirão como referência básica para uma série de atividades lúdico-educativas e institucionais, relacionadas diretamente com a política pública das águas, sobretudo para o Comitê da Bacia do rio Paraopeba e para sua secretaria executiva, o Consórcio Intermunicipal da bacia Hidrográfica do rio Paraopeba - CIBAPAR.
   O potencial histórico e de exclusividade do material gerado é tão grande que um marco em praça pública será implantado nas cidades de Betim, Esmeraldas e Paraopeba/Caetanópolis e guardará cópia da filmagem e do livro de forma a ser aberta e comparada com a situação futura, em 5, 10, 20 e 30 anos respectivamente, juntamente com a CARTA DO PARAOPEBA, com os compromissos e metas de qualidade e quantidade assumidas pela administração pública estadual, prefeituras e usuários das águas; bem como por instituições da sociedade civil, cidadãs e cidadãos.
Passeata pela recuperação do rio Paraopeba, em Cristiano Otoni, dia 16 de agosto de 2010
  Como outro de seus objetivos específicos encontra-se a formação de um embrião de mobilização social para a recuperação do rio, a Rede Solidária de Vigilância Permanente – ReSOL, formada inicialmente por mais de 600 pescadores, estudantes e professores; moradores localizados às margens de toda extensão do rio. Estes cidadãos e cidadãs já participaram de diversas atividades realizadas antes do início da navegação.
    A empresa Geosan fará análises das águas em todas paradas culturais utilizando-se de uma sonda multiparâmetros da Clean Environment Brasil. Os resultados são apresentados em tempo real.
   A Expedição é uma realização do Consórcio Intermunicipal da Bacia Hidrográfica do Rio Paraopeba (CIBAPAR), em parceria com a Petrobras, Gerdau-Açominas, Ferrous, Vallourec & Sumitomo Tubos do Brasil, Fiat, Usiminas, Brennand Cimentos, Instituto Ekos, CBH-Paraopeba e Prefeituras Municipais. Além de contar com recursos públicos do Fundo de Recuperação, Proteção e Desenvolvimento Sustentável das Bacias Hidrográficas do Estado de Minas Gerais (FHIDRO).
   A Marinha do Brasil, de forma inédita, irá participar da navegação, cumprindo suas competências específicas de salvaguardar a vida humana, garantir a segurança e prevenir a poluição advinda das embarcações.

sábado, 4 de setembro de 2010