segunda-feira, 31 de março de 2014

quinta-feira, 27 de março de 2014

GENEBRA - SUÍÇA E SUAS HORTAS COMUNITÁRIAS - EXEMPLO PARA O MUNDO
















  Exemplos de como melhorar a qualidade da alimentação da população, respeitando-se o meio ambiente existem. Basta colocarmos em prática ações que unam pessoas que realmente querem conquistar uma melhor qualidade de vida e contribuírem para que o meio ambiente seja mais saudável. Este exemplo a seguir em Genebra - Suíça demonstra que soluções existem aos problemas socioambientais.  O Brasil tem solo, clima e população capaz de vencer os conflitos socioambientais e implantar soluções comunitárias como esta.


" Essa é a paisagem da Avenida Crozet em Genebra, na Suíça. Lá, os jardins das casas da vizinhança foram transformados em hortas comunitárias, onde, todos os vizinhos podem desfrutar dos alimentos colhidos nas plantações.
    Funciona assim: cada família planta determinado alimento no jardim de sua casa. Posteriormente, esses alimentos são trocados por outros alimentos plantados em jardins vizinhos. Dessa forma, através da troca, o bairro se tornou uma grande horta comunitária que oferece alimentos para todos os seus moradores.
   O conceito é antigo e foi criado pelo médico alemão Moritz Schreber no século 19. No ano de 1864, durante uma campanha para aumentar o número de áreas de lazer para as crianças em alguns bairros de países na Europa, os espaços externos das casas começaram a ganhar outro uso. Foi nessas áreas que as famílias começaram a plantar e cultivar alimentos para seu próprio consumo. Mais tarde a ideia ganhou força e países como Áustria e Suíça também aderiram.
   Hoje, em alguns países europeus, a prática do cultivo do próprio alimento é protegida por lei. Em 2003, o governo russo assinou a Lei da Horta Privada, na qual, todo cidadão tem o direito à parcelas de terra para plantio totalmente de graça."  (Fonte: Terra Viva / Agricultura sustentável)

  Inscreva-se no blog do Jornal O Ecoambiental: www.oecoambiental.blogspot.com, basta clicar no lado direito do blog. Envie-nos seus comentários, matérias, artigos, publicações. Vamos nos unir em defesa de um meio ambiente mais sadio e para todos. Saudações.



terça-feira, 25 de março de 2014

POLUIÇÃO DO AR MATOU CERCA DE 7 MILHÕES DE PESSOAS NO MUNDO SEGUNDO A OMS

   Segundo a Organização Mundial da Saúde, uma a cada oito mortes no mundo está ligada a poluição do ar. Em 2012 foram cerca de 7 milhões de mortes causadas pela poluição atmosférica. As  mortes foram causadas por doenças pulmonares, cardíacas, derrames, câncer dentre outras. 
    Os dados levam em conta que as causas de morte podem ser diretamente relacionadas à exposição prolongada ao material particulado, ozônio e outros poluentes presentes no ar - principalmente nas grandes metrópoles, mas não apenas nelas. 
A maior parte das mortes está associada à poluição doméstica, produzida em ambientes fechados por fogões a lenha, carvão ou esterco - muito usados em regiões pobres da Ásia, como fonte de aquecimento e para cozinhar. Cerca de 4,3 milhões de mortes foram causadas por esse tipo de contaminação do ar em 2012.
   Outras 3,7 milhões de mortes foram atribuídas à poluição atmosférica tradicional, típica das cidades (mas também presente em áreas rurais), oriunda do trânsito e das indústrias. Dessas, 40% foram causadas por doenças cardíacas isquêmicas, 40% por derrames cerebrais e 20% por problemas pulmonares, como o câncer de pulmão.
   A gravidade dos problemas socioambientais exige que a sociedade encontre e implante soluções para a crise ambiental no mundo de forma imediata. Se agirmos hoje como sociedade sobre esta crise as soluções serão sentidas a médio e longo prazos. Alcançar a sustentabilidade em meio a esta crise é o desafio que todos nós estamos chamados a construir
   Consideramos que é fundamental a informação chegar as pessoas: de como se defender e agir na solução destes problemas. Como sempre lembramos os problemas socioambientais atingem a coletividade, portanto a solução passa pela sociedade como um todo e não apenas pela mudança de hábitos individuais. 

sábado, 22 de março de 2014

22 DE MARÇO - DIA MUNDIAL DA ÁGUA


   No Dia Mundial da Água desejamos que o Brasil e o mundo valorizem e defendam a água, os seres humanos e todo o meio ambiente. Os desafios são muitos. Para despoluir a Lagoa da Pampulha, o Rio Arrudas, o Rio Tietê, a Baía de Guanabara, como solucionar a seca do nordeste brasileiro, a falta de água em São Paulo, a escassez de água em tantas regiões do mundo é necessário a união de todos seres humanos que decidirem valorizar a vida e todos os recursos naturais e formas de vida da Terra.
   Cada curso d'água poluído são reflexos da sociedade poluída, nosso espelho.  O modo de produção de sociedades que degradam os seres humanos e o meio ambiente precisa se transformar em sociedades sustentáveis. Não através de boas palavras apenas, mas através de ações. Todos nós somos chamados a nos unirmos. As mudanças climáticas dialogam com o mundo e nos ensinam que precisamos agir na direção de melhorarmos o interior de cada um de nós, nossas comunidades, instituições e países. Precisamos valorizar o ar, as florestas, a fertilidade natural dos solos, as energias renováveis como a solar, as águas  que nos mantêm vivos. 
  Acreditamos que é possível construirmos caminhos de união de pessoas e instituições que estão agindo em defesa de todo meio ambiente. As águas são águas de vida e para a vida de todos.

terça-feira, 18 de março de 2014

EVENTO SOBRE A ÁGUA

   O dia mundial da água, 22 de março, se aproxima e vários eventos acontecem no Brasil e no mundo debatendo a preservação e manutenção da qualidade deste bem que mantêm a vida na Terra. Segue a divulgação de um destes eventos.


sexta-feira, 14 de março de 2014

PARIS EM ALERTA POR CAUSA DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA














   Paris e outras cidades como Caen e Rouen terão transporte público gratuito durante três dias devido a poluição atmosférica.  Algumas regiões da França, mais de trinta departamentos, e até em outros países como Bélgica, enfrentam o mesmo problema. A maior preocupação é com a saúde humana, sendo que a cidade está em alerta máximo. As partículas PM 10 quanto menores permanecem suspensas no ar durante semanas. Partículas com menos de  2,5 microns de diâmetro são as mais perigosas para a saúde humana. Atingem os pulmões e o sistema sanguíneo. Causam asma, alergias e problemas respiratórios e cardíacos. A Organização Mundial de Saúde classificam estas minúsculas partículas como cancerígenas. 
    Em Paris a tentativa é reduzir o uso de automóveis. A falta de ventilação, noites frias e dias quentes, fazem com que as partículas de gases poluentes emitidas pelos veículos fiquem retidas sob uma camada quente de ar. Na cidade monumentos históricos como a Torre Eifel se escondem atrás da poluição. 
   Enquanto cientistas debatem se há aquecimento global ou não os problemas socioambientais ficam evidentes em várias regiões do mundo. A situação de Paris lembra Pequim, que enfrenta problemas de poluição atmosférica de muita gravidade. Como reverter estes problemas é uma grande preocupação. As mudanças climáticas deixam evidentes como a ação humana modifica o meio ambiente. Isto não há como negar. O Brasil não fica atrás. As grandes cidades brasileiras sofrem não apenas com a poluição atmosférica, mas com a contaminação de agrotóxicos, poluição dos cursos d'água (como o racionamento de água em São Paulo), desmatamento e inúmeros problemas socioambientais. Aqui em Belo Horizonte temos o problema histórico da Lagoa da Pampulha, em São Paulo o Rio Tietê, no Rio de Janeiro a poluição na Baía de Guanabara, sem contar o desmatamento da Floresta Amazônica. 
  O Jornal O Ecoambiental tem trabalhado no sentido de democratizar as soluções aos problemas socioambientais como prevê a Agenda 21. A grande questão é que os problemas de meio ambiente são coletivos e cumulativos diante sociedades extremamente individualistas e consumistas. Atingem milhões, bilhões de seres humanos em todo mundo.
A conscientização é individual e no agir é preciso pensar na valorização coletiva dos seres humanos e de todo meio ambiente.  Saber de um problema de meio ambiente não quer dizer de imediato que as pessoas estão mobilizadas para resolver o problema. É preciso que as soluções sejam democratizadas. O tempo de reação também é de cada um, cada comunidade, cada região.  A inércia de muitos governos locais, problemas políticos ou mesmo a falta de priorização da solução dos problemas socioambientais geram cada vez mais conflitos ambientais na sociedade. É preciso que a sociedade civil se una cada vez mais buscando soluções imediatas para os problemas ambientais. Que pessoas, instituições e governos tenham mais agilidade no enfrentamento da crise socioambiental. Nós ainda acreditamos que estas soluções são possíveis, por isto nosso jornal foi fundado e buscamos dar nossa contribuição local na solução destes problemas. A máxima utilizada em todo mundo "o agir local e pensar global" continua sendo uma diretriz importante na solução destes problemas.

   O jornal francês Le Monde discute a poluição atmosférica em Paris, no link a seguir:
http://www.lemonde.fr/planete/article/2014/03/14/alerte-a-la-pollution-l-inertie-de-la-france-depuis-vingt-ans_4383104_3244.html


Inscreva-se no blog do Jornal O Ecoambiental:
www.oecoambiental.blogspot.com
   Envie-nos seus comentários, textos, matérias, artigos. Vamos nos unir cada vez mais em defesa da vida, de sociedades ambientalmente melhores de se viver. 











segunda-feira, 10 de março de 2014

BATERIAS IMPERADOR E IMPERATRIZ DE BH


 CULTURA E MEIO AMBIENTE

CARNAVAL 2014 DE BELO HORIZONTE - UM ENCERRAMENTO QUE PROMETE CONTINUIDADE

   A capital mineira felizmente vem conquistando um salto qualitativo no carnaval, nestes últimos anos.  Esta constatação está comprovada pelas novas atrações culturais da cidade, além dos mais de duzentos blocos que saíram às ruas de Belo Horizonte neste carnaval,  há o surgimento da primeira Bateria feminina de Belo Horizonte - a Imperatriz, que juntamente com Bateria Imperador, encerraram na Praça da Estação, neste domingo, o carnaval 2014 de BH com um sentimento de que algo novo surge no horizonte cultural da cidade.  
  Apresentando um ritmo contagiante, bem organizado e com determinação, as Baterias, novas atrações culturais de Belo Horizonte, empolgaram quem esteve ontem na Praça. Mesmo a chuva não deteve a determinação e a empolgação do samba bem ritmado e cadenciado. A proposta cultural das Baterias, segundo seus organizadores: o Núcleo de Cultura Popular - NECUP é:

"As Baterias Imperador e Imperatriz nascem como fruto das oficinas ministradas dentro do projeto Percussão Brasil – Núcleo de Pesquisa e Formação. Os trabalhos desenvolvidos ao longo do ano, principalmente no que se refere ao samba-enredo, possibilitou a formação de um grupo que trabalha os temas e linguagens característicos das tradicionais escolas de samba do Rio de Janeiro."

  Fica por parte da população a expectativa por novas apresentações que possam ocorrer durante todo o ano e principalmente agregar novos conteúdos culturais aos próximos carnavais de Belo Horizonte. O Jornal O Ecoambiental parabeniza as Baterias Imperador e Imperatriz pela iniciativa promissora, desejando sucesso e prosperidade ao bom trabalho apresentado. Mais informações sobre as Baterias, estão no link abaixo do Núcleo de Pesquisa e Formação:


  Inscreva-se no blog do Jornal O Ecoambiental: www.oecoambiental.blogspot.com e contribua para a melhoria da qualidade de vida e meio ambiente de nossa comunidade, com suas opiniões, comentários, artigos, matérias.  

sábado, 8 de março de 2014

PARABÉNS TODAS AS MULHERES NO SEU DIA


   PAZ                                AMOR                                                                            LIBERDADE      
                                                         FELICIDADES
    HARMONIA                  
                                                                                                                  PROSPERIDADE
                                                     FRATERNIDADE      
                UNIÃO                                           

   O Jornal O Ecoambiental deseja a todas as mulheres um Feliz Dia Internacional das Mulheres. Que haja muita paz, amor e harmonia entre homens e mulheres. 

Que a mulher brasileira seja valorizada cada dia mais em suas conquistas por direitos igualitários entre mulheres e homens. Que a sociedade sustentável seja construída sem opressão, com vida digna, ambientalmente sadia para todos. Parabéns a todas mulheres.

quinta-feira, 6 de março de 2014

EM DEFESA DE UMA MELHOR QUALIDADE DE VIDA E ALIMENTAÇÃO PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA


      O Jornal O Ecoambiental está em campanha permanente em defesa de uma alimentação saudável e melhor qualidade de vida para toda a população brasileira. Como foi debatido da Rio + 20 e Cúpula dos Povos é preciso combater o uso abusivo de agrotóxicos na agricultura brasileira. Na alimentação de crianças e adolescentes reduzir o consumo de alimentos altamente calóricos com muito açúcar e sal. Esta má qualidade de alimentação vem trazendo sérios problemas de saúde para toda população brasileira. É preciso que os preços dos alimentos orgânicos e agroecológicos sejam mais acessíveis para toda  população e a oferta destes alimentos seja maior. A difusão de informações que contribuam na melhoria da educação alimentar da população é fundamental. Divulgamos a seguir a feira do grupo Terra Viva, um dos grupos que está produzindo alimentos agroecológicos. 







quarta-feira, 5 de março de 2014

BH E OS BLOCOS NO CARNAVAL 2014 - A ALEGRIA QUE TOMA CONTA DA CIDADE NAS RUAS



Qual é a relação do carnaval com o meio ambiente ? Na medida em que a população é mais feliz, a qualidade de vida tende a melhorar. Sabemos que o ser humano faz parte do meio ambiente. Valorizar nossa cultura é valorizar a singularidade de nossa identidade brasileira. O carnaval é a maior festa popular do mundo. Os conflitos socioambientais podem ser vencidos com a valorização e respeito a nossa diversidade cultural. Há um amplo campo de pesquisa socioambiental para antropólogos, sociólogos e estudiosos sobre o tema do carnaval. O antropólogo brasileiro Roberto da Mata é um destes que nos apresenta o estudo: "O carnaval como rito de passagem". Como o carnaval se renova a cada ano novas perspectivas aos profissionais das Ciência Sociais se abrem para sistematizar o sabedoria popular. Esta indescritível beleza interior de ser brasileiro.
   Estima-se que mais de duzentos blocos de rua animaram o carnaval 2014 de BH. A cidade descobre nos blocos de rua uma identidade belorizontina para o carnaval. Quem participou, aprovou. Uma nova opção de carnaval ressurge no Brasil: os blocos de rua de BH.



Carnaval de Rua  2014 em Santa Efigênia/BH - Foto: Jornal O Ecoambiental                                         
  Confira alguns, entre centenas, de blocos que animaram o carnaval de BH: Bloco Baianas Ozadas arrastou mais de 10 mil pessoas até a Praça da Estação.     No Jardim Vitória, na região Oeste da cidade, o bloco Pena de Pavão de Krishna tomou conta das ruas com integrantes pintados de azul. No bairro Santa Tereza, na região Leste,  os Blocos: Rola Moça, Pavão Misterioso e Impresta 10 . O Afoxé Bandarerê, na praça do México, no Concórdia,  a população se animou com  a percussão, formado por adeptos do Candomblé. Na região da Savassi o Bloco Alcova Libertina arrastou mais de 15 mil pessoas. No Anchieta o Bloco Beijo Grego. No Padre Eustáquio o Bloco SBC. Em Santa Efigênia o Bloco do Aproach e Bloco do Peixoto. No Barreiro, O Bloco dos Bateras. O Bloco Fera Neném no Carmo e Blocos Atras do Jacaré e Blocão na Pampulha. E por aí segue a animação em vários bairros da cidade,  dos belorizontinos que organizam espontaneamente os blocos de rua e que se multiplicam a cada ano.
   Além dos blocos de rua,  as Escolas de Samba e Blocos Caricatos voltaram ao desfile na avenida Afonso Pena. Artistas como Martinho da Vila, Banda Zé do Guiomar e o Grupo Molejo fizeram a festa no palco da Praça. 
  O carnaval de BH 2014 foi marcado pela descontração, alegria, espontaneidade, em clima de confraternização e paz. Quase não se ouviu falar em tumultos. Na perspectiva de se pensar um carnaval em evolução em BH os próximos carnavais prometem muita animação nas ruas. A cidade ainda pode melhorar na valorização da cultura local, abrindo mais espaço para artistas e músicos da cidade nas apresentações nos palcos e nas ruas.  O importante é garantir a descontração e felicidade da população.

domingo, 2 de março de 2014

O BRASIL EM FESTA ...É CARNAVAL... E VIVA O POVO BRASILEIRO

O JORNAL O ECOAMBIENTAL
 DESEJA
 A TODO BRASIL UM FELIZ CARNAVAL

sábado, 1 de março de 2014

CARNAVAL BH: NAS RUAS A CONQUISTA DE NOVOS TEMPOS DE CARNAVAL



    A identidade do Brasil é sem dúvida carnavalesca. Como uma Roda de Capoeira, o Carnaval só participando conseguimos descrever. É um mistério o caminho que as pessoas encontram para expressarem a felicidade interior. Um país de uma maioria oprimida, ainda acredita que pode ser feliz. Nem tudo está perdido. Ainda há esperanças de uma vida melhor. O mal que infelizmente habita todos os humanos pode ser vencido através da busca da felicidade. O bom é que nossa essência humana é o bem. 
    A tecnologia do carnaval é brasileira. Até esquecemos celulares, computadores. Descobrimos que a vida é simples. Por que complicar tanto ? Excluir as pessoas na globalização. Quando um avanço de inteligência humana é propiciar vida digna e felicidade para todos. Combatemos o stress com samba. As classes sociais no carnaval de rua ficam em cheque. Ninguém é melhor que ninguém. No carnaval é decretada a revolução contra toda a opressão. O que fazer se podemos ser mais felizes do que somos ?
  Belo Horizonte aprendeu que o povo merece um carnaval que deve ser organizado  durante todos os dias do ano. A maior festa popular de rua do mundo merece cuidado, dedicação e valorização da cultura brasileira. Uma Escola de Samba  funciona todo ano. As cidades brasileiras podem investir em carnavais cada vez melhores. O carnaval evolui sempre. Aprendemos em cada ano como melhorar nosso carnaval. 
   Em BH está havendo neste carnaval 2014  uma mudança em relação ao ano passado. Em 2013 eram cerca de 70 blocos de rua, neste ano são mais de duzentos blocos. Foi montada uma infra-estrutura com os palcos em poucas regiões da cidade. Mas ainda pode ser melhor.  Preencher os horários com músicas e artistas regionais, locais, nacionais. Música popular brasileira: "dar voz ao Brasil". Quantos artistas, músicos, valores culturais existem em BH, MG, no Brasil que poderiam estar animando o carnaval dia e noite nos palcos montados pela prefeitura? Os blocos que sobem aos palcos, tocam algumas horas e param. A estrutura que não deve ter ficado barata, não é utilizada como poderia. Fica uma sugestão a prefeitura de BH: abrir espaço para que a arte cultural brasileira ocupe os palcos de nosso carnaval durante o dia e noite. Como conseguir recursos ? Depois do Brasil organizar uma copa do mundo, não há como negar investir na felicidade do povo, através da valorização cultural do carnaval, na melhoria da educação, transporte e saúde públicos, por exemplo. 
  Um bairro tradicional de BH: Santa Teresa, neste ano de 2014,  ficou sem o carnaval  no Bar do Orlando,  nesta sexta-feira, numa praça onde as pessoas  historicamente se reúnem em alegria. Ficamos pensando quem fez esta maldade de inviabilizar o carnaval de Santa Tereza em 2014. Quem perde é a cidade. Outra questão é a infra-estrutura dos palcos  que poderia estar distribuída em outras regiões de BH, como Venda Nova, Barreiro, Padre Eustáquio e todas a regiões macro da cidade.  Democratizar o carnaval com infra-estrutura adequada para a periferia também. Quem sabe ainda dá tempo para que o carnaval em Santa Tereza em 2014 seja restabelecido neste domingo, até terça-feira de carnaval.  Que a população de BH  possa continuar organizando seus blocos, saindo às ruas, decretando que o carnaval e a felicidade é direito de todos:
  "É o povo quem produz o show e assina a direção".


 A felicidade combate a maldade: " quero ter olhos pra ver, a maldade desaparecer".
Inscreva-se no blog do Jornal O Ecoambiental:
wwww.oecoambiental.blogspot.com