sexta-feira, 31 de julho de 2015

MEL FREIRE CANTORA E COMPOSITORA TALENTOSA

Mel Freire - no Reciclo - BH - Foto: Jornal Oecoambiental


   Uma artista e compositora talentosa. É o que presenciamos no show de Mel Freire e trio no Reciclo em BH. Ela nasceu em Minas Gerais e iniciou sua carreira artística na Itália, onde morou 25 anos. 
   Mel Freire tem-se apresentado em público desde a década de 1990, integrando grupos de diversas formações, com foco em ritmos brasileiros como: baião, samba, choro, maracatu, bossa nova e jazz. Realizou participações: Festival Clara Nunes - Caetanópolis-MG em 2008 e 2010; turnê pela Itália - 2010; apresentou-se como convidada do Ministério  das Relações Exteriores no projeto cultural Escola de Música/ Centenário de Vinícius de Moraes em São Tomé e Príncipe, África, em 2013. 
  Vale a pena conferir  os cds e  agenda de Mel Freire, curtir uma boa sonoridade musical. Veja nas redes sociais:
-

quinta-feira, 30 de julho de 2015

BARTÔ - UM NOVO ESPAÇO GASTRONÔMICO E CULTURAL DE QUALIDADE







  

  



  

   

  

 


  O Espaço Gastronômico e Cultural  Bartolomeu – Bartô é uma excelente opção para quem aprecia uma boa alimentação e vivência cultural de qualidade.  Está localizado na Rua Doutor Nestor Bruno, 63 – Fonte Grande – Contagem/ MG , aberto de quarta a sábado de 17 h à meia noite.



Espaço Gastronômico e Cultural Bartô - Foto: Jornal Oecoambiental

 

  Um local agradável onde você pode reunir seus amigos para aquele happy hour de descontração,  ouvir uma boa música, saborear uma gastronomia de alta qualidade. Vale a pena conferir, convidar seus amigos, sua família, festejar aniversários, fazer outras amizades e cultivar novos momentos felizes em sua vida.  


   O Espaço Gastronômico e Cultural Bartô está organizando uma programação cultural selecionando eventos culturais de qualidade para você e sua família. Consulte nas redes sociais:

TERMO DE COMPROMISSO DE COMPENSAÇÃO AMBIENTAL - IEF

   Foi publicada, em 24 de julho de 2015, a Portaria IEF nº 76/2015 que institui o modelo do Termo de Compromisso de Compensação Ambiental - TCCA, em cumprimento às obrigações de compensação ambiental prevista na Lei Federal nº 9.985/2000.
   O TCCA deverá ser impresso conforme modelo disponibilizado no site do Instituto Estadual de Florestas - IEF e deverá ser emitido em 03 vias de igual teor, sendo a 1ª via da Gerência de Compensação Ambiental - GCA, 2ª via do empreendedor e 3ª via será anexada ao processo.
   A portaria permite a possibilidade de alteração do termo descrito para atender as especificidades do caso concreto mediante solicitação justificada, após sua análise e aprovação.

Para leitura completa desta Portaria acesso o link:

http://jornal.iof.mg.gov.br/xmlui/handle/123456789/148029?paginaCorrente=01&posicaoPagCorrente=148011&linkBase=http%3A%2F%2Fjornal.iof.mg.gov.br%3A80%2Fxmlui%2Fhandle%2F123456789%2F&totalPaginas=60&paginaDestino=19&indice=19

terça-feira, 28 de julho de 2015

COP 21 - PARIS 21 A CONFERÊNCIA DO CLIMA



















       Convenção-Quadro das Alterações Climáticas das Nações Unidas , conhecida como UNFCCC (UNFCCC em Inglês) foi aprovada na Cúpula da Terra no Rio de Janeiro em 1992. Ela entrou em vigor em 21 de março de 1994 e foi ratificada por 196 Países, que são as " Partes "stakeholders, da Convenção.
    A Convenção-Quadro é uma convenção universal de princípios que reconhecem a existência da mudança climática devido à atividade humana.
   A Conferência das Partes (COP), composta por todos os Estados 'Partes', é o órgão supremo da Convenção. Reúne-se anualmente em conferências globais em que as decisões que respeitem os objetivos de luta contra as alterações climáticas são adotadas. As decisões só podem ser tomadas por unanimidade pelas Partes ou por consenso. 
   A França vai acolher a vigésima primeira Conferência das Partes da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre as Alterações Climáticas, que será realizada de 30 de novembro a 11 de Dezembro de 2015 em Paris.

  Veja informações sobre a COP 21 no link abaixo:

http://www.cop21.gouv.fr/es/cop21-cmp11/que-es-una-cop

quarta-feira, 22 de julho de 2015

6ª MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO AUDIOVISUAL INDEPENDENTE - NO PARQUE LAGOA DO NADO

















1) Trazer apenas alimentos/quitandas de confecção caseira
2) O ponto de encontro será na piscina, próximo à Biblioteca


CENTRO DE SABERES ECOCULTURA CATAVENTO
Av. Gal. Olímpio Mourão Filho, 400 - Itapuã

segunda-feira, 20 de julho de 2015

SUCESSO DO BRASIL NO PAN DE TORONTO REVELA ATLETAS PARA AS OLIMPÍADAS DO RIO


Érica Miranda - medalha de ouro no judô no PAN de Toronto












  
   Brasil conquista nossa centésima medalha no PAN de Toronto na ginástica de solo, com Angélica  Kvieczynski, que recebeu a medalha de  bronze com  15.633 pontos na final da ginástica rítmica com fita.  As brasileiras estão brilhando no Canada. Além da ginástica rítmica,  outras atletas brasileiras que brilharam: Flávia Saraiva na ginástica artística,  Ana Sátila que conquistou as medalhas de ouro e prata para o Brasil na canoagem e Érica Miranda no judô.
Angélica Kviecznski conquistou centésima medalha para o Brasil no Pan de Toronto
   Vários atletas brasileiros que brilham no Pan de Toronto são candidatos a fazer sucesso também nas Olimpíadas do Rio 2016: Arthur Zanetti, na ginástica; Léo de Deus na natação; Joice Silva na luta olímpica;  Yane Marques no pentatlo moderno;  Érica Miranda no judô; Felipe Wu no tiro esportivo; Marcel Sturmer na patinação; Izaquias Queiroz na canoagem; Cássio Ripel na carabina deitada; além de Ana Sátila na canoagem, atletas da natação e dos esportes coletivos como vôlei, futebol, handebol, dentre outros,  são possibilidades de medalhas nos Jogos Olímpicos do Rio 2016.
Thiago Pereira recordista em medalhas na história do PAN com a  Bandeira do Brasil em Toronto
    Thiago Pereira que entrou com a Bandeira do Brasil na abertura do PAN de Toronto tornou-se o maior recordista de medalhas na história de premiações das edições  do Pan com sua 23ª medalha conquistada no Canada.

  Como havíamos registrado o Brasil avançou para o terceiro lugar no PAN de Toronto e está até o momento com: 30 medalhas de ouro, 29 de prata e 42 de bronze, totalizando 101 medalhas.

terça-feira, 14 de julho de 2015

BRASIL SEGUE CAMINHO DE VITÓRIAS NO PAN DE TORONTO A CAMINHO DAS OLIMPÍADAS DO RIO DE JANEIRO 2016














    Até hoje o Brasil é sexto colocado no quadro de medalhas do Pan de Toronto, podemos subir para o quinto lugar pelo fato de disputarmos medalhas de ouro no judô logo mais.  O Brasil já conquistou medalhas em várias modalidades: na ginástica olímpica, judô, saltos ornamentais, patinação artística, tiro, canoagem, levantamento de peso nos primeiros dias dos jogos. 
   Uma condição para conquista de melhor qualidade de vida é o incentivo a prática de esportes. O Brasil vem progredindo nos esportes, não somos mais só o País do futebol, somos o Brasil da natação, do vôlei, de handebol, da ginástica olímpica, do judô, agora no Pan de Toronto. Dada nossas dimensões continentais e qualidade cultural, humana do povo brasileiro, podemos muito mais.
   Nas Olimpíadas do Rio de Janeiro, pensamos ser fundamental uma união nacional pela prática sadia de esportes. É preciso incentivar a juventude para que ingresse em várias modalidades esportivas que podem trazer melhores perspectivas a juventude brasileira e uma maior valorização dos brasileiros.
   O nosso jornal divulga notícias sobre o Pan de Toronto acreditando sempre no Brasil, numa melhor distribuição de renda, e melhor qualidade de saúde, educação, cultura, esportes para todos. É possível vencer esta fase de ênfase a notícias ruins e conquistarmos como Nação maior valorização da pessoa humana, dos recursos naturais e de todo meio ambiente. Que possamos acompanhar os atletas brasileiros e a evolução da qualidade de vida dos brasileiros. O Brasil pode seguir também construindo com originalidade seu caminho de sustentabilidade valorizando nossa pluralidade étnica e cultural.

sexta-feira, 10 de julho de 2015

quinta-feira, 9 de julho de 2015

"A ENCÍCLICA VERDE" - ARTIGO DE FREI BETTO


A ENCÍCLICA VERDE

Frei Betto

        Em homenagem a São Francisco de Assis, o papa Francisco lançou uma encíclica holística, na qual associa degradação ambiental e aumento da pobreza mundial. O texto se constitui num apelo urgente para a humanidade sair da “espiral da autodestruição”.
        O chefe da Igreja Católica condena o atual modelo de desenvolvimento focado no consumismo e na obtenção do lucro imediato. Denuncia “a incoerência de quem luta contra o tráfico de animais em risco de extinção, mas fica completamente indiferente perante o tráfico de pessoas, desinteressa-se dos pobres ou procurar destruir outro ser humano do qual não gosta.”
        Salvar o Planeta é salvar os pobres, clama Francisco. Eles são as principais vítimas da sequelas deixadas por invasões de terras indígenas, destruição de florestas, contaminação de rios e mares, uso abusivo de agrotóxicos e de energia fóssil.
        O texto resgata a interação bíblica entre o ser humano e a natureza e faz mea-culpa quanto o modo de a Igreja interpretar o mandato divino de “dominar” a Terra. Também amplia o significado do “Não matarás”: “Uns 20% da população mundial consomem recursos em uma medida tal que roubam às nações pobres e às gerações futuras aquilo de que necessitam para sobreviver.”
        Não há desenvolvimento social e avanço científico positivos, alerta o papa, sem o respaldo da ética e a centralidade do bem comum em tudo que se pesquisa e planeja.
        O combate à idolatria do mercado é enfático, ao frisar que a fome e a miséria não acabarão “simplesmente com o crescimento do mercado. O mercado, por si mesmo, não garante o desenvolvimento humano integral nem a inclusão social.”
        Além de criticar como inócuas todas as importantes reuniões de cúpula sobre a questão ambiental, pois os bons propósitos não saem do papel, Francisco amplia o conceito de ecologia ao destacar a “ecologia integral”, a “ecologia cultural” e a “ecologia da vida cotidiana”.
        Nenhuma outra encíclica contém tanta poesia. Francisco frisa que “todo o Universo material é uma linguagem do amor de Deus. O solo, a água, as montanhas: tudo é carícia de Deus.” E, pela primeira vez, uma encíclica valoriza a contribuição de obra de Teilhard de Chardin, censurado por Roma em toda primeira metade do século passado.
   Frei Betto é escritor, autor de “A arte de semear estrelas” (Rocco), entre outros livros.
        

terça-feira, 7 de julho de 2015

O QUE É A CONVENÇÃO DO CLIMA E A COP 21










                                 
    Diante a importância da COP 21, a Conferência do Clima que será realizada em Paris no final deste ano, estaremos divulgando os principais documentos aprovados na Rio92, de onde se originou este tratado sobre o clima e vários outros documentos importantes como a Declaração do Rio e a Agenda 21.
                                  A CONVENÇÃO DO CLIMA
   A chamada Convenção do Clima, ou a Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre mudanças climáticas ( United Nations Framework Convention on Climate Change ou UNFCCC) é um tratado internacional ambiental dedicado ao clima da Terra, que visa deter a poluição atmosférica no Planeta que vem colocando em risco a vida dos seres humanos e deteriorando o meio ambiente global.  Este tratado foi aprovado na ECO 92 ou Rio/92, entrando em vigor em 21 de março de 1994, onde são signatários 196 países.  Os países signatários são convocados a assumirem compromissos e obrigações no combate as mudanças climáticas, sob o princípio da “responsabilidade comum, mas diferenciada”. 

    Os países signatários (chamados de Partes da Convenção, a sigla COP – diz respeito a esta nomenclatura – Conferência das Partes)  devem agir em benefício do meio ambiente nos níveis nacional, regional e global. Segundo a Convenção cada país contribui de determinada forma sobre os impactos socioambientais locais e globais. Todos são chamados para prevenir, reduzir e controlar a ameaça representada pela poluição atmosférica e as consequências das mudanças climáticas que o mundo vem sofrendo atualmente.
   A COP 21 ou Paris 21 é muito importante para que os países assumam compromissos efetivos de construção da sustentabilidade. O Brasil tem um papel muito importante na medida em que abrigamos a maior floresta tropical do mundo e o fim do desmatamento na Amazônia é um compromisso fundamental que o Brasil deve assumir com os brasileiros e o mundo.
    Esta consciência socioambiental deve ser levada em conta para que todas as cidades e regiões do Brasil possam combater o desmatamento urbano e rural, a poluição atmosférica. Como as questões ambientais estão interligadas, agirmos em defesa da qualidade da água, contra a destruição de nascentes, a poluição de rios e lagos é igualmente fundamental. Sem matas, árvores,  as águas diminuem e nos restam águas poluídas. A degradação socioambiental atinge principalmente os mais pobres no Brasil e no mundo. O uso abusivo de agrotóxicos na agricultura agrava este quadro, segundo foi divulgado na Rio + 20 o Brasil é líder mundial de utilização de agrotóxicos na produção de alimentos. Segundo a médica sanitarista Lia Giraldo de Pernambuco a proporção é de mais de 5 litros de agrotóxicos por pessoa ao ano.  Os agrotóxicos, além de serem prejudiciais a saúde humana, contaminam o lençol freático e poluem as águas. Ou seja, debater e buscar ações sobre as discussões da Convenção do Clima é uma tarefa local e global. 
Segue o link da Convenção sobre o clima na íntegra:

IGAM E MAPAS DE HIDROGRAFIA EM MG

ESCASSEZ HÍDRICA "IGAM DISPONIBILIZA MAPAS SOBRE ESTADOS DE VAZÃO EM PORÇÕES HIDROGRÁFICAS DE MINAS"

   O Igam disponibilizou mapas das porções hidrográficas de Minas Gerais, que estão sendo analisadas e que contam com pontos de monitoramento de vazão. As informações serão atualizadas semanalmente e servirão como parâmetro para a definição de situação crítica de escassez hídrica e estado de restrição de uso da água no Estado.
A situação das porções hidrográficas será definida de acordo com a Deliberação Normativa CERH/MG 49/2015:
 I. Estado de Atenção: estado de vazão que antecede a situação crítica de escassez hídrica e seu Estado de Alerta, no qual não haverá restrição de uso para captações de água e o usuário de recursos hídricos deverá ficar atento para eventuais alterações do respectivo estado de vazões;
II. Estado de Alerta: estado de risco de escassez hídrica, que antecede ao estado de restrição de uso, caracterizado pelo período de tempo, em que o estado de vazão ou o estado de armazenamento dos reservatórios indicarem a adoção de ações de alerta para restrição de uso para captações de águas superficiais e no qual o usuário de recursos hídricos deverá tomar medidas de atenção e se atentar às eventuais alterações do respectivo estado de vazões;
 III. Estado de Restrição de Uso: estado de escassez hídrica caracterizado pelo período de tempo em que o estado de vazão ou o estado de armazenamento dos reservatórios indicarem restrições do uso da água em uma porção hidrográfica. 
A restrição de uso para captações de água ocorrerá conforme o estado de vazões ou estado de armazenamento dos reservatórios e restringirá o uso para captação de água nos seguintes termos:
              ·         Redução de 20% do volume diário outorgado, para as captações de água para a finalidade de consumo humano ou dessedentação animal ou abastecimento público;
         ·         Redução de 25% do volume diário outorgado para a finalidade de irrigação, podendo ser excepcionalizada por meio de Deliberação Normativa deste Conselho;
              ·         Redução de 30% do volume diário outorgado, para as captações de água para a finalidade de consumo industrial e agroindustrial;
              ·         Redução de 50% do volume outorgado para as demais finalidades, exceto usos não consuntivos.
Considerando que o período de março a setembro é o período de seca e a tendência da escassez é recrudescer, as indústrias e minerações devem ficar atentas à situação da bacia hidrográfica em que estão situadas. É importante trabalhar com um plano de contingenciamento para cada uma das etapas da deliberação normativa 49/2015 para não serem surpreendidos com as restrições impostas pela deliberação.